Santa Catarina deverá suspender benefícios à importação

Decreto deve suspender a concessão de regimes especiais na importação em SC

Fonte: Secretaria da Fazenda de Santa Catarina

Em resposta a ações diretas de inconstitucionalidade (Adins) interpostas no Supremo Tribunal Federal, o secretário de Estado da Fazenda, Ubiratan Rezende, propôs ao governador Raimundo Colombo a edição de decreto para suspender a concessão de regimes especiais na importação de mercadorias para comercialização. A medida impede a concessão de novos benefícios pelo prazo de 120 dias, período em que os programas de incentivo à importação serão reavaliados. Mantém, entretanto, aqueles  já concedidos.

Santa Catarina adotou nos últimos anos uma política fiscal agressiva em relação aos incentivos para importação de mercadorias. Reduziu a carga tributária para atrair investimentos. Isso favoreceu o crescimento do volume de importações por meio dos portos catarinenses, mas acabou provocando questionamentos no STF por parte de outras unidades da Federação e de empresas de outros estados.

Extrato Pró-Emprego

  • 781 empresas aderiram desde 2007
  • R$ 14,2 bilhões foram investidos por essas empresas na economia catarinense com a gereação de 64,4 mil empregos diretos

 

Número de empresas por setor que aderiram ao programa:

  • Indústria em geral – 329
  • Comércio em geral – 380
  • Geradoras de energia – 56
  • Terminais portuários – 7
  • Centros de distribuição (atacados) – 4
  • Centros comerciais/shoppings centers – 3
  • Hospitais – 2
  • Total – 781